Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

fix_encontro-gospel
No comando: ENCONTRO GOSPEL

Das 06:00 as 06:59

acordar-e-a-melhor-razao-para-ser-feliz-bom-dia-3mepj-cxl
No comando: BOM DIA CONNECT

Das 07:00 as 08:59

No comando: BARRA ON LINE

Das 07:00 as 09:00

top-30
No comando: TOP 30

Das 09:00 as 11:00

fix_pagonejo-200-x-200
No comando: PAGONEJO

Das 11:10 as 13:00

fix_120-minutos-200
No comando: 120 MINUTOS

Das 12:00 as 13:59

No comando: A TARDE E NOSSA

Das 14:00 as 15:59

fix_amnesia-200-x-200
No comando: AMINESIA

Das 14:00 as 16:00

No comando: FORROBREGANDO

Das 15:00 as 17:00

fix_top-20-sertanejo-200-x-200
No comando: TOP 20 SERTANEJO

Das 16:30 as 18:00

fix_pop-music-200
No comando: POP MUSIC

Das 18:00 as 19:59

Barroso prorroga inquérito sobre Decreto dos Portos

Compartilhe:
O ministro do STF Roberto Barroso durante solenidade de posse do novo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli.

Por André Richter – Repórter da Agência Brasil
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso decidiu hoje (8) prorrogar o inquérito que investiga o suposto favorecimento da empresa Rodrimar S/A na edição do chamado Decreto dos Portos (Decreto 9.048/2017), assinado em maio do ano passado pelo presidente Michel Temer.

O pedido de prorrogação foi feito pela defesa de Temer com objetivo de solicitar a oitiva do ex-ministro dos Transportes Maurício Quintella, que poderia esclarecer os fatos sobre alterações no texto do decreto. A prorrogação também contou com manifestação favorável da Procuradoria-Geral da República (PGR). Com a decisão de Barroso, o depoimento de Quintella deverá ser realizado até o próximo dia 15.

Além do presidente Michel Temer, são investigados nesse inquérito o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures e os donos da Rodrimar, empresários Antônio Celso Grecco e Ricardo Mesquita.

No inquérito, que ainda não teve denúncia apresentada, é investigado o suposto favorecimento da empresa Rodrimar S/A, concessionária do Porto de Santos (SP), por meio do decreto assinado por Temer em maio do ano passado.

O presidente nega todas as suspeitas. No início do ano, ao responder por escrito a questionamentos dos delegados responsáveis pelo caso, a defesa de Temer declarou que ele nunca foi procurado por empresários do setor portuário para tratar da edição do decreto.

Edição: Nádia Franco

Deixe seu comentário:

elzir calçados

elzir calçados

super gas braz

super gas braz

MARANHÃO

MARANHÃO